Assembleia do BB nos dias 1º e 2 de julho: acesse pelo nosso site

Captura de Tela 2020-06-30 às 18.15.42

Nesta quarta-feira (1º), tem início a assembleia eletrônica para que os funcionários do Banco do Brasil (BB) possam deliberar sobre o Acordo Coletivo de Trabalho Emergencial (Pandemia Covid-19), que trata sobre acertos firmados em mesa de negociações entre o Comando Nacional dos Bancários, a Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB) e o banco. A votação segue até esta quinta-feira, dia 2 de julho.Em decorrência da pandemia causada pelo novo coronavírus, a assembleia será realizada por meio eletrônico. Os funcionários que fazem parte da base…

Leia Mais

Entidades orientam funcionários do BB a aprovarem proposta do Acordo Coletivo

bb_destaque_joka4158

Acordo vai abonar dias 7 a 9 de abril e dar desconto de 10% nas horas negativas do banco de horas O Comando Nacional dos Bancários e a Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB) orientam a aprovação do Acordo Coletivo de Trabalho Emergencial (Pandemia Covid-19), negociado em reunião na última sexta-feira (26), por videoconferência.Abono dos dias 7 a 9 de abril, o desconto de 10% do total de horas negativas e o compromisso de não descomissionamento por desempenho até o final…

Leia Mais

Bancos planejam permanecer com o ‘home office’ no pós-pandemia

glenn-carstens-peters-npxXWgQ33ZQ-unsplash

Sindicatos dos bancários devem dar início a uma campanha nacional para consultar trabalhadores e cobrar dos bancos o respeito aos direitos Cerca de 200 mil bancários foram para o teletrabalho neste momento de pandemia. E muitos não devem voltar a trabalhar nos escritórios e agências. Alegando economia e aumento de produtividade, os bancos planejam adotar o regime de home office permanente para milhares de funcionários após a crise sanitária. O Banco do Brasil, por exemplo, já calcula que pode poupar R$ 180 milhões por ano com aluguéis e manutenção…

Leia Mais

Contraf-CUT volta a cobrar manutenção do Projeto Remoto na Caixa

coronavirus_caixa

A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), assessorada pela Comissão Executiva dos Empregados da Caixa (CEE/Caixa), enviou ofício na última semana à Caixa Econômica Federal para a prorrogação do projeto teletrabalho enquanto perdurar a pandemia do novo coronavírus (Covid-19). O “Projeto Remoto” é um dos principais itens do protocolo de atuação de gestores e empregados. A medida, construída em conjunto com as entidades e o movimento sindical, é essencial para promover a saúde e defender a vida dos empregados e da população durante…

Leia Mais

Campanha internacional pede apoio contra demissões do Santander

tag-internacionalizacao-da-campanha-do-santander

UNI Global Union denuncia práticas do Santander, que quebrou compromisso de não demissão, e internacionaliza denúncias contra o banco A UNI Global Union, sindicato global que representa 20 milhões de trabalhadores em 150 países, lançou uma campanha internacional contra as demissões que o Santander Brasil está promovendo em plena pandemia de Covid-19 e pedindo que as demissões sejam revistas.O manifesto lembra que o banco se comprometeu a não demitir durante a pandemia causada pelo novo coronavírus, mas, mesmo com o crescimento do número de pessoas infectadas e de mortes…

Leia Mais

36º Conecef será virtual nos dias 10 e 11 de julho

Captura de Tela 2020-06-28 às 18.41.18

No Congresso, serão definidas as estratégias de luta e reivindicações dos empregados da Caixa O 36º Congresso Nacional dos Empregados da Caixa Econômica Federal (Conecef) será realizado nos dias 10 e 11 de julho virtualmente. Cerca de 280 delegadas e delegados definirão as estratégias de luta e a pauta de reivindicações específica do banco público para a Campanha Nacional 2020.Três temas principais balizaram o 36º Conecef: defesa da vida, saúde e direitos. “O Conecef é uma construção histórica dos empregados da Caixa. E este acontecerá…

Leia Mais

Caixa: home office pós-pandemia precisa ser negociado com os trabalhadores

glenn-carstens-peters-npxXWgQ33ZQ-unsplash

Para presidente da Fenae, Sérgio Takemoto, fatores como jornadas, equipamentos e estruturas do home office precisam ser regulamentados Uma das primeiras ações da pandemia adotadas pela Caixa foi o home office. A medida foi resultado da forte atuação das entidades representativas com o objetivo de preservar a vida dos trabalhadores e da população. Agora, o trabalho remoto está sendo cogitado para continuar depois da pandemia. O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, afirmou em entrevista à CNN, na última quarta-feira (24), que o banco irá expandir…

Leia Mais

Presidente da Caixa é incoerente ao falar sobre Projeto Remoto

Captura de Tela 2020-06-25 às 20.07.59

Enquanto dá entrevistas dizendo que vai expandir o programa, Pedro Guimarães convoca empregados a voltarem ao trabalho presencial e se exporem ao Covid-19 A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) denuncia a incoerência do presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, sobre o Projeto Remoto. Ao mesmo tempo em que afirma na grande mídia dizendo que vai expandir o programa de teletrabalho depois que o período de pandemia for superado no Brasil, como na entrevista da última quarta-feira (24), para a CNN Brasil, convoca…

Leia Mais

Presidente da Caixa confirma privatização de áreas estratégicas do Banco

Captura de Tela 2020-06-24 às 20.30.36

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, voltou a reforçar os planos de privatização da Caixa. Em entrevista ao jornal Estadão, na tarde de terça-feira (23), Guimarães, confirmou a venda de setores estratégicos do banco público. “Nós podemos e iremos abrir o capital. Temos ainda algumas decisões internas para serem tomadas, mas o caminho está muito claro: abertura de capital das operações de seguros, de cartões, de asset e uma discussão de loterias que passa por uma outra discussão legal”, disse.Para Sérgio Takemoto, secretário…

Leia Mais

Pedro Guimarães confirma privatizações na Caixa: “nós podemos e iremos abrir o capital”

rachaduracaixa

Setores que estão na mira da privatização são fundamentais para sustentar os programas sociais da Caixa O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, voltou a reforçar os planos de privatização do banco. Em entrevista ao jornal Estadão, na terça-feira (23), Guimarães, confirmou a venda de setores estratégicos do banco público. “Nós podemos e iremos abrir o capital. Temos ainda algumas decisões internas para serem tomadas, mas o caminho está muito claro: abertura de capital das operações de seguros, de cartões, de asset [gestão de recursos] e…

Leia Mais