Crise coloca brasileiros de volta a pobreza

pobreza

Devido a crise econômica, agravada pelas políticas neoliberais do governo Temer, pouco mais de 9 milhões de pessoas voltaram à pobreza nos últimos dois anos (2015-2016). Do montante, 5,4 milhões vivem em situação de miséria.

Entre 2004 e 2014, cerca de 40 milhões de pessoas deixaram a linha da pobreza. A retomada da miséria ocorre no momento em que o neoliberalismo se fortalece por meio das políticas do governo Temer, enfraquecendo as ações de proteção social e os programas de transferência de renda.

O motivo principal do crescimento da desigualdade entre os anos de 2015 e 2016 foi o aumento do desemprego e a queda da renda do brasileiro, segundo o Instituto de Estudos do Trabalho e Sociedade.

O retrato da situação difícil do brasileiro foi traçado a partir do cruzamento de dados da “Síntese de Indicadores Sociais” divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Conforme o relatório, que utiliza referencial do Banco Mundial, são considerados pobres, as pessoas que vivem com até R$ 387,07 mensais, e extremamente pobres aqueles que recebem até R$ 133,72 mensais.

Fonte: SEEB Bahia