Casos de Covid-19 seguem aumentando no Banrisul

e6e40ba7-5fa6-4b06-98f2-c43db9188288-1

Nesta quinta-feira (3), três agências do Banrisul permanecerão fechadas, durante todo o dia, para que os trabalhadores realizem exames, após a confirmação de novos casos de coronavírus, nestes locais. Ontem, foram confirmados mais dois casos: um na agência do Fragata e outro na agência das Três Vendas. Até o momento, apenas a agência do Areal não registrou nenhum caso, mas, conforme tem se dado a disseminação do vírus, em toda a cidade, dificilmente esta situação se mantenha por muito tempo.

Casos seguem aumentando

Na última sexta-feira (27), também já havia sido confirmado um caso na agência localizada na rua General Osório, no centro da cidade, fazendo com que o banco afastasse os funcionários, que seguem isolados, e deslocasse bancários de outra agência para atender apenas os agendamentos que já estavam programados para esta quinta-feira.

Agora, o Banrisul já registra 17 trabalhadores infectados pela Covid-19, no município. Os primeiros casos foram confirmados ainda no início do mês de novembro, na agência da rua Quinze de Novembro, que teve de ser fechada duas vezes. A situação está se repetindo na agência das Três Vendas, que está fechando as portas, para realização sanitarização do local e exames dos funcionários, pela segunda vez.

“Nós temos solicitado repetidamente, aos gerentes e à diretoria do banco, que realizem o revezamento dos funcionários, evitando o fechamento das agências, mas não estamos sendo atendidos”, ressalta a diretora do Sindicato, Raquel Gil de Oliveira, que é, também, funcionária do Banrisul. Raquel explica que o atual quadro se deve, ainda, ao fato de que o Banrisul não tem reposto o seu quadro de funcionários, ficando com poucas pessoas disponíveis para realizar o atendimento.

A contaminação dos trabalhadores do Banrisul teve um pico justamente nos meses em que o banco decidiu flexibilizar o atendimento. À exemplo do governo municipal, que, em outubro e novembro, também havia relaxado com as medidas de segurança em todo o município, o que provocou não só o aumento dos casos, mas, também, a superlotação dos leitos de UTI COVID, que, hoje, estão 100% ocupados.

Tratamento desigual

O Sindicato também tem cobrado uma melhor interpretação dos gestores quanto às regras do Distanciamento Controlado do Governo do Estado, publicadas na última segunda-feira (30/11). De acordo com o regramento estadual, foi estipulado que as agências bancárias operem com um teto de ocupação de 50% de trabalhadores – medida, esta, que foi reafirmada pela Prefeitura, através do decreto municipal divulgado na última terça-feira (01/12).

Conforme explica o diretor João Paulo da Silveira, que é funcionário do Banrisul, é preciso que as Instruções Normativas e Administrativas, repassadas pelo banco, estejam de acordo com os decretos estadual e municipal. “O banco deve obedecer a norma estipulada de 50% de ocupação no prédio. Isso inclui todos os trabalhadores que ocupam as agências e não apenas os bancários e estagiários”, alerta.

A preocupação do dirigente sindical se justifica na medida em que foi repassada uma orientação do banco que pretende excluir os trabalhadores da limpeza e vigilantes do cálculo estipulado para o teto de ocupação. “Entendo que são todos trabalhadores e estão presentes, ao mesmo tempo, no mesmo ambiente. Não há distinção de categoria, se trata de teto de ocupação de pessoas. Senão, os bancos poderiam atuar com dois funcionários e um número ilimitado de terceirizados, ou prestadores de serviço. Isso não me parece coerente; afinal, o risco é real para todos e não pode haver distinção de tratamento para os trabalhadores do banco”, ressalta.

Redação e foto: Eduardo Menezes/Seeb Pelotas