Depois de reivindicações, Bradesco anuncia medidas contra Coronavírus

tag_medida_corona_virus_bradesco

A pedidos do Comando Nacional, o banco adotou medidas preventivas, como o isolamento de funcionários dos grupos de risco

Um dia depois do Comando Nacional dos Bancários reivindicar, junto a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), medidas efetivas contra o coronavírus, o Bradesco anunciou, na manhã da última terça-feira (17), algumas medidas para conter o avanço do coronavírus. A principal delas é afastar imediatamente do trabalho, em departamentos e agências, os funcionários mais vulneráveis.

A partir das 12h do dia 17 de março, todos os trabalhadores considerados em grupos de risco devem se isolar em casa e, quem tem celular corporativo, deve levá-lo para o isolamento. Fazem parte deste grupo os bancários, em agências ou departamento, que tenham mais de 60 anos, sejam transplantados ou estejam em tratamento de câncer. Estagiários, menores aprendizes e pessoas com doenças crônicas também se enquadram na medida. A pedido do movimento sindical, o banco também incluiu mulheres grávidas no grupo de pessoas vulneráveis que devem se isolar.

Quem tem doença crônica, deve primeiro se isolar em casa e depois comunicar o banco sobre o isolamento através do Ligue Viva Bem (0800 701-1212).

“O Bradesco atendeu a reivindicação dos trabalhadores e isso irá colaborar para que a epidemia não cresça dentro do banco. O banco disse, ainda, que está estudando como esse período será computado no ponto eletrônico”, afirmou Magaly Fagundes, coordenadora da Comissão de Organização de Empregados (COE) do Bradesco.

“Estas primeiras medidas anunciadas ainda são insuficientes. Nós vamos cobrar, ainda, a liberação dos funcionários que ficam no autoatendimento, redução da jornada, controle de acesso e alternativas aos pais que tiveram os filhos liberados das escolas. Também vamos buscar soluções conjuntas para as demandas dos bancários”, finalizou Magaly.

Com informações Contraf CUT