Banco transforma agências em PAs e abre possibilidade de demissões em todo o país

bradesco-dia-luta-sp1

O Bradesco está sendo monitorado de perto pelo Sindicato, após anunciar a incorporação de agências, transformadas em Postos de Atendimento (PAs), por todo o país. No total, 18 agências passarão a funcionar como PAs, abrangendo os estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Geriais.

Dentre as agências que serão subordinadas a agências incorporadoras está a Agência Capão do Leão. Com a transferência do gerente, os quatro bancários que, hoje, estão atuando na localidade, serão transferidos para a agência do antigo HSBC, localizada no entorno da Praça Coronel Pedro Osório.

“Ficaremos atentos se o banco irá cumprir com o que está dizendo e se os funcionários serão realocados na nova agência com tranquilidade, uma vez que essa é uma política nacional da empresa”, alerta o dirigente sindical Sérgio Seus, que é, também, funcionário do Bradesco. Em outros estados, inclusive, o banco age, em silêncio, demitindo funcionários sumariamente.

A onda de demissões promovida pelo banco não se justifica. Com um lucro líquido de R$ 10,263 bilhões, no 1º semestre de 2018, o Bradesco apresenta um crescimento de 9,7%, em relação ao mesmo período de 2017. Todas as demissões promovidas pela empresa, até o momento, tem se dirigido, justamente, aos funcionários mais antigos, com décadas de trabalhos prestados à empresa, ou de bancários oriundos do extinto banco HSBC.