Movimento sindical discute com o Bradesco sobre fechamento de agências

bradesco (2)

Os bancários ficaram apreensivos após o Bradesco anunciar o fechamento 200 agencias em todo o país. O maior medo é com a possibilidade de perda de emprego. Imediatamente após a notícia, o movimento sindical procurou o banco para tratar do assunto.Reunido com o departamento de Relações Sindicais do Bradesco, a informação é de que se trata de um estudo, uma vez que, com a aquisição do HSBC, passaram a coexistir duas, e até três agências muito próximas. O banco também disse que não tem a intenção de demitir funcionários, mas realoca-los em agências próximas que estão com déficit de pessoal.

Aumento das receitas

Outro motivo de preocupação do movimento sindical é com o aumento do assédio moral por meio das práticas de cobrança de metas. O banco pretende aumentar a receita com a venda de produtos aos clientes. Atualmente, a média de produtos adquiridos por clientes é de 1,6. A meta é chegar à média de 2 produtos por cliente.

O banco alega que tem um departamento que faz um estudo para determinar metas possíveis de serem alcançadas, sem abusos. Disse ainda que, se houver excessos na cobrança de metas é devido à má postura de gestores.

Reunião da COE

Na próxima terça-feira (20), o Comando Nacional dos Bancários se reunirá na sede da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT). Um dos pontos de pauta são as Conferências Nacionais dos Bancos Privados, entre elas a do Bradesco.

Este é apenas um dos desafios a ser enfrentado pela categoria neste ano. ” banco está passando por uma troca de comando e certamente haverá mudança, mas o debate precisa ser muito mais amplo. Vivemos um momento de forte ataque aos direitos dos trabalhadores. Além disso, neste ano acontecerão eleições gerais. Tudo isso afeta a vida do trabalhador e é preciso estar muito organizado para enfrentar esse momento da melhor forma possível.

Fonte: Contraf-CUT