Falta vacina para os países mais pobres, diz OMS

Design sem nome (90)

Enquanto países ricos realizavam estoques de vacinas contra a Covid -19, as regiões mais pobres do planeta sofrem com a falta dos imunizantes. Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), somente 20% dos habitantes de países de renda baixa receberam a primeira dose, em comparação com 80% nos países de renda alta e média, atrasando ainda mais a superação da pandemia.

Como muitos países já começaram a aplicar a terceira dose como reforço, a OMS tem realizado o pedido para que seja feita apenas em grupos de risco, como idosos e imunossuprimidos, como fazem alguns estados do Brasil. A intenção é evitar o desperdício de vacinas de reforço para pessoas saudáveis totalmente vacinadas, permitindo imunizantes para pessoas de maior risco e que ainda não receberam nem sequer a primeira dose.

Segundo a Organização, o consórcio Covax Facility, destinado a distribuir vacinas para regiões mais pobres do mundo, não alcançará 30% da meta prevista de 2 bilhões de doses. A OMS solicita que os países ricos e empresas farmacêuticas compartilhem um maior número de vacinas, para que se possa vislumbrar o fim da pandemia até o primeiro trimestre de 2022.

O avanço da vacinação permitiu que os números da Covid-19 seguissem em queda no Brasil, apesar das mortes ainda elevadas. O país já passa a marca de 585.174 vítimas pela doença, desconsiderando a ampla subnotificação, sendo ainda necessário que cada município avalie o indicador de transmissão comunitária para avaliar se o sinal de estabilidade na tendência é de longo ou curto prazo, para evitar a retomada de atividades de maneira precoce.

Fonte: SBBA