Banco do Brasil deve voltar a enfrentar o desenvolvimento desigual do país

bb-se-e-publico-e-para-todos

Incluir a dimensão do desenvolvimento regional e comunitário nas diretrizes do Banco do Brasil. Essa é uma das resoluções aprovadas pelos delegados do 32º Congresso Nacional funcionários do Banco do Brasil.

O evento, realizado no dia 8 de agosto, debateu as grandes diferenças existentes no país entre suas regiões e enorme desigualdade social e econômica entre elas. “O desenvolvimento regional e comunitário é fator importante para o aproveitamento das potencialidades e das melhorias das condições de vida em todas as regiões. Os bancos públicos sempre tiveram papel decisivo na redução das desigualdades regionais”, lembrou o coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB), João Fukunaga.

O Banco do Brasil, por exemplo, já desenvolveu programas como o Desenvolvimento Regional Sustentável (DRS) e o incentivo a arranjos produtivos locais. A Fundação Banco do Brasil também detém capacitação e experiência importantes no apoio a projetos de interesse comunitário e regional. “O BB e sua Fundação devem retomar estas experiências e montar operações de crédito para desenvolver as potencialidades regionais e enfrentar o desenvolvimento desigual do país”, completou Fukunaga.

Fonte: Contraf-CUT