Banrisulenses discutem últimos detalhes sobre acordo de teletrabalho

Design sem nome – 2021-01-20T190020.397

Nesta última terça-feira (19), os representantes dos banrisulenses realizaram nova reunião virtual com os negociadores do Banrisul para discutir assuntos pendentes sobre o Acordo Coletivo Específico de Teletrabalho. Na pauta, ainda foram debatidos o edital para eleições do Conselho de Administração, acordo de ponto eletrônico e os encaminhamentos relacionados à pandemia da COVID-19.

Durante o debate, pontos destacados na última reunião pelos representantes sindicais foram ressaltados e questões importantes para os Banrisulenses avançaram. Após duas semanas de diálogo, o banco aceitou manter os quatro dias por mês de trabalho presencial a quem opte por ele.

Além disso, voltou atrás com relação a descontar do empregado a ajuda de custo do teletrabalho proporcionalmente aos dias que ele estiver presencialmente no seu posto ou agência (entenda o assunto).

O objetivo dos representantes dos banrisulenses é que as cláusulas do acordo sobre teletrabalho sejam nítidas e não deem margens a interpretações distorcidas, assim como no acordo de ponto eletrônico a redação não pode dar margens para burlas no ponto ou outras condições que desfavoreçam os empregados.

Para isso, o assessor jurídico da Fetrafi-RS, Milton Fagundes, vai encaminhar junto ao Banrisul propostas de redação sobre os pontos que ainda estão pendentes.

Retorno do grupo de risco

Com relação ao retorno presencial dos colegas que têm algum fator de saúde para agravamento da doença em caso de contaminação pelo coronavírus, a pedido dos dirigentes sindicais, o banco aceitou flexibilizar o prazo e rever a extensa documentação exigida.

Para a diretora de Saúde do Trabalhador da Fetrafi-RS e representante dos Banrisulenses na mesa de negociação, Denise Falkenberg Corrêa, apenas o laudo médico comprovando a comorbidade deveria ser o suficiente para que o empregado fosse mantido em home office.

“O mais importante é garantir proteção a saúde e a vida dos empregados e das empregadas, disso não vamos transigir”, afirmou.

Os representantes do banco deixaram claro que não se trata de uma caça às bruxas, mas que o banco tem enfrentado problemas com a comprovação dos casos de grupo de risco e que precisa garantir a integridade do processo.

Cuidados com a COVID-19

Embora a vacinação para o novo coronavírus tenha iniciado entre os profissionais de saúde, os protocolos de prevenção devem continuar sem alterações. Os banrisulenses querem garantir que não haja aglomerações nas agências.

A diretora de Formação da Fetrafi-RS, Ana Maria Betim Furquim, que também participa das negociações, lembrou que é importante garantir a figura do “organizador de fila” para evitar que fiquem muitas pessoas dentro da agência, principalmente em dias de pagamento de salários.

Os representantes do Banrisul se comprometeram a manter o organizador, mas se queixaram das dificuldades em realizar o revezamento de equipes e informaram que muitos clientes vêm entrando em contato com o banco via SAC e Ouvidora para reclamar dos problemas no atendimento.

Há agências do interior que estão operando com apenas um empregado, caso de alguns municípios da área do Sindicato dos Bancários de Santa Cruz do Sul, como ressaltou a dirigente Mariluz Carvalho na reunião. O banco se comprometeu a solucionar esses problemas.

Caixas e atendimento

O recente redimensionamento de caixas foi novamente mencionado pelos representantes dos banrisulenses, que destacaram a preocupação com o atendimento adequado da população e com a sobrecarga de trabalho dos colegas, agravada pela pandemia e exacerbada nos dias de maior movimento.

O tema se tornou constante nas negociações com o banco e será aprofundado na rodada da próxima terça, 26.

Conselho de Administração

O presidente do SindBancários Porto Alegre e Região, Luciano Fetzner, cobrou do banco um posicionamento quanto ao edital com as regras para eleição do representante dos empregados no Conselho de Administração. Em reunião anterior, o Sindicato havia questionado o regulamento das eleições e fez um ofício ao Banrisul no mesmo dia solicitando correções.

O banco publicou novo edital, mas este ainda tem problemas em relação à legislação vigente, na avaliação do Sindicato. Por isso, conforme Fetzner, o banco será notificado oficialmente pelo SindBancários e o processo poderá ser contestado na Justiça.

Além dos nomes citados, participaram da reunião os banrisulenses Cleberson Pacheco Einchholz (presidente do Sintrafi Florianópolis) e Fábio Soares Alves (diretor da Fetrafi-RS), Ana Maria Silva (SEEB Lajeado) e o assessor jurídico do SindBancários João Rosito. Pelo Banrisul, estiveram presentes o negociador Fernando Perez, o superintendente de Recursos Humanos Gaspar Saikoski e os colegas Raí Mello e Douglas Bernhard, pelo departamento jurídico.

Fonte: Fetrafi-RS

Arte: Seeb Pelotas