Entidades ampliam luta contra MP 995 na Caixa

greve caixa (1)

Na luta contra os retrocessos impostos pelo governo neoliberal de Bolsonaro, as entidades representativas dos empregados da Caixa vão entrar com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) no Supremo Tribunal Federal (STF) contra a MP 995, que permite a privatização de partes do banco público.

Com a Medida Provisória, apenas o mercado financeiro vai se beneficiar. Um dos questionamentos feitos pelo movimento sindical é a intenção do governo e da direção da Caixa de criar subsidiárias para vendê-las, a exemplo da retomada do IPO da Caixa Seguridade. Nenhum banco privado, como Bradesco e Itaú, vende partes mais rentáveis das atividades, pois são ótimo negócio. 

A MP 995 passa por cima da decisão do STF que proíbe a venda de empresas-mãe, como a Caixa e a Petrobras, sem que o Congresso Nacional autorize. O governo pretende se desfazer do patrimônio público em detrimento da população, que se beneficia do papel social da instituição financeira, através de investimentos em políticas públicas. 

Fonte: Sindicato dos Bancários da Bahia

Arte: SEEB Pelotas