Petrobras perde processo de arbitragem para a Previ e Petros

card-fenae-petrobras-600×400

Estatal terá que ressarcir, em bilhões, os dois maiores fundos de pensão brasileiros; Funcef não divulgou novas informações

A Petrobras foi condenada a ressarcir a Petros (Petrobras) e Previ (Banco do Brasil) pelas condutas da estatal que levaram prejuízo aos fundos de pensão. Com o acordo, que será assinado nos próximos dias, a Petrobras pagará à Petros o valor de R$ 950 milhões, até dezembro de 2021. 

A Petros exigia ressarcimento pelas perdas que teve com os investimentos realizados na Sete Brasil, empresa criada em 2010 para viabilizar a construção de sondas para o pré-sal e da qual era cotista. Além da Petros, Previ e Funcef a também fazem parte do investimento Fip Sondas. 

O Processo de Arbitragem contra a Petrobrás foi proposto pela direção Funcef em 2015/2016, junto aos Conselhos de Administração e Acionistas da Sete Brasil. 

Questionada pela Fenae no mês passado, a Funcef admitiu o procedimento arbitral contra a Petrobras devido às “informações não fidedignas divulgadas entre 2010 e 2015”, no âmbito da operação Lava Jato, e os prejuízos causados ao fundo de pensão. A Fundação informa que o Termo de Arbitragem já foi assinado pelas partes, mas alega que o processo é confidencial e não dá mais informações. 

Fonte e Imagem: Fenae