TCU está de olho nas privatizações na Caixa

caixa_economica_federal0505202674

O governo Bolsonaro mostra diariamente que pretende vender ativos da Caixa. O TCU (Tribunal de Contas da União) vai acompanhar o IPO da Caixa Seguridade e Cartões através da abertura de dois procedimentos específicos de acompanhamento das operações de abertura de capital das subsidiárias do banco.

A venda de áreas como seguros e cartões é uma estratégia para fatiar e reduzir a Caixa, para depois privatizá-la. O governo está vendendo a Petrobras aos pedaços e quer fazer o mesmo com o único banco 100% público do país, que tem papel fundamental para o povo brasileiro como um prestador de serviços à sociedade, a exemplo do pagamento do auxílio emergencial.

O fortalecimento da Caixa é uma das principais defesas do movimento sindical. Se as partes lucrativas da instituição financeira forem vendidas, o banco não terá condições de executar todos os programas sociais essenciais para a população, como o Minha Casa Minha Vida e o Fies.

Somente nos três primeiros meses de 2020, as loterias arrecadaram R$ 4 bilhões e cerca de R$ 1,5 bilhão foram transferidos para áreas de seguridade social, esporte, cultura, segurança pública, educação e saúde. Com isso, o foram repassados 37,2% do total arrecadado. A decisão do TCU atende solicitação dos deputados federais Erika Kokay (PT-DF) e Enio Verri (PT-PR) e entidades representativas. 

Fonte: Sindicato dos Bancários da Bahia

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil