Alvo de críticas, Banrisul suspende edital que patrocinaria lives de músicos gaúchos

JOANA BERWANGER SUL21

Banrisul anunciou, na terça-feira (30), a suspensão do edital Patrocínios para Lives 2020. Num curto comunicado em seu site, o banco informa que o motivo da suspensão é a “reavaliação” do edital. Lançado no dia 22, previa patrocinar até 200 lives de músicos gaúchos, pagando R$ 3.500 por cada projeto, num investimento total de R$ 700 mil.

Desde o lançamento, porém, o edital desagradou muitos artistas gaúchos devido ao critério de seleção, que previa escolher grupos e músicos com o maior número de seguidores nas redes sociais Instagram e Facebook e de inscritos no Youtube. No edital, o Banrisul assegurava a contratação mínima de 10 projetos em cada uma das regiões do Estado: Alto Uruguai, Centro, Fronteira, Leste, Noroeste, Serra, Sul e Porto Alegre.

O critério da popularidade nas redes sociais, em detrimento da qualidade dos projetos e da obra do artista, rendeu críticas ao banco. Sem perspectiva de quando poderão voltar a fazer shows, os músicos e a classe artística em geral, estão entre os trabalhadores mais afetados pela crise causada pelo novo coronavírus.

Dias depois do lançamento do edital, o Colegiado Setorial da Música do Estado do Rio Grande do Sul enviou uma carta ao Banrisul sugerindo alterações no critério de seleção, além da inclusão de aulas, workshops e seminários.

“Acreditamos que o item ‘7.1.1’ do edital, como critério de seleção e da forma que está hoje pode prejudicar a ampla participação da maioria dos artistas gaúchos ao estabelecer como condicionante número de seguidores em suas redes sociais. Entendemos que esta alteração (como sorteio, por exemplo) traria imensa repercussão positiva e entraria em harmonia com o posicionamento do banco”, disse, na ocasião, trecho da carta do Colegiado que pedia mudanças no edital.

Até o momento, não se sabe se o edital será suspenso definitivamente ou se o Banrisul irá acatar os apelos dos músicos.

Fonte: Sul21

Foto: Joana Berwanger/Sul21