Bolsonaro mantém discurso genocida e diz que comércio deve abrir

Captura de Tela 2020-03-25 às 09.35.31

Na manhã seguinte ao pronunciamento que chocou o país, Bolsonaro postou um twitter na manhã desta quarta-feira pedindo a reabertura do comércio em todo o País. A decisão pode convulsionar o Brasil

Jair Bolsonaro radicalizou sua narrativa genocida e afrontou todos os governadores do país e as autoridades médicas e sanitárias e soltou um twitter na manhã desta quarta-feira (25) ordenando a reabertura do comércio do país. A decisão pode convulsionar o Brasil.

Em cadeia de TV, Bolsonaro minimiza pandemia

Jair Bolsonaro apelou à mentira e à tergiversação em um novo pronunciamento, em cadeia obrigatória de rádio e TV, sobre a pandemia do coronavírus. Com um discurso feito sob medida para mobilizar seus seguidores mais radicais, o mandatário voltou a minimizar nesta terça-feira os riscos da doença, que já matou mais de 17.000 pessoas pelo mundo e 46 no Brasil, a se lançar contra a mídia, prefeitos e governadores. E contra as próprias evidências científicas.

“O vírus chegou, está sendo enfrentado por nós, e brevemente passará”, garantiu o mandatário de extrema direita, contra todas as previsões dos especialistas e do Ministério da Saúde que comanda. Depois, afirmou que “a vida deve continuar”, que “os empregos devem ser mantidos”, assim como os sustentos das famílias. “Devemos, sim, voltar à normalidade. Algumas poucas autoridades estaduais e municipais devem abandonar o conceito de terra arrasada, a proibição de transportes, o fechamento do comércio e o confinamento em massa”, insistiu ele, indo em direção contrária ao que dizem as recomendações da Organização Mundial da Saúde e a todas as medidas de emergência adotadas em outros países. 

Com informações do Brasil 247 e do El País