Nesta quinta-feira (6) tem Assembleia do Sindicato para definir participação na Greve Geral

61801310_441205596670732_6941912222700404736_n

Os bancários de Pelotas e Região têm encontro marcado para esta quinta-feira, dia 6 de junho, às 17h30min, na sede do Sindicato

A categoria sabe que o momento é de mobilização. O texto da reforma da Previdência, que está sendo discutido no Congresso, tem como única finalidade beneficiar as instituições financeiras, mesmo colocando em risco a aposentadoria da maior parte dos brasileiros.

A Assembleia Geral, convocada pelo Sindicato, tem por objetivo dialogar sobre o que está em jogo caso a PEC 06/19 venha a ser aprovada sem modificações, decidindo, junto à categoria, pela adesão, ou não, à Greve Geral do dia 14 de junho.

A PEC visa atender apenas os interesses dos bancos, já que, no sistema de capitalização, somente o trabalhador contribui e o Estado e os patrões deixam de contribuir. Nesse modelo, não há cobertura de auxílio doença/acidente, licença maternidade, pensão e os demais benefícios. Os valores são administrados por empresas privadas, que cobram altas taxas pelo serviço.

É importante que a categoria entenda a gravidade do que está sendo colocado em discussão no Congresso.  A proposta do governo retira o direito de uma aposentadoria digna para maioria dos brasileiros e brasileiras. Os que estão ingressando, agora, no mercado do trabalho, dificilmente conseguirão se aposentar. Quem já está na ativa irá demorar mais tempo para ter direito à aposentadoria e até mesmo quem já está aposentado será prejudicado, uma vez que não sabe se terá algum reajuste relativo à inflação.

O governo privatista, de Jair Bolsonaro, tem como principal objetivo impor o modelo de capitalização para pensionistas e aposentados brasileiros. Em experiência similar, implementada no Chile, durante o regime de Pinochet, o resultado tem sido devastador.

Hoje, milhões de chilenos encontram-se em condição de miserabilidade, aumentando o índice de suicídio entre a população idosa do país.

O Sindicato irá tomar todas as providências legais para garantir a participação dos bancários e das bancárias na greve geral de 14 de junho. Uma dessas providências é justamente a assembleia do dia 6 de junho. Nenhum bancário pode ser constrangido a trabalhar, sobretudo se houver dificuldades de transporte no dia da mobilização.

Seeb Imprensa pelotas