Sindicatos irão intensificar manifestações para pressionar diretoria do Banrisul a negociar

11865_FD_1532316189

O Comando Nacional dos Banrisulenses esteve reunião nesta sexta-feira, dia 20, na sede da Fetrafi-RS, em Porto Alegre. Com a participação de dirigentes sindicais de todos os cantos do Estado, o encontro serviu para discutir os próximos passos da Campanha Salarial 2018 e as ações em defesa do banco. Como principal encaminhamento, o Comando decidiu que os atos de protesto contra a diretoria do Banrisul devem ser intensificados nos próximos dias. Até o momento, o Banrisul é o único banco público que não recebeu os representantes dos bancários para negociar.

No começo do mês de julho, a diretoria da Fetrafi-RS enviou ofício à diretoria do banco, cobrando o início das negociações. Até o momento, o Banrisul não se posicionou. Diante do silêncio e da falta de diálogo do banco, o Comando recomenda que todos os 38 sindicatos do Rio Grande do Sul também encaminhem ofícios ao banco, como forma de sensibilizar a diretoria do Banrisul para a abertura das negociações.

Ficou decidido que haverá atos nos dias 25 de julho e 1° de agosto, quando haverá rodada de negociação com a Fenaban. A ideia é reunir o maior número de banrisulenses nas manifestações para que o banco abandone a postura de não chamar o comando para negociar. Os membros do Comando Nacional dos Banrisulenses decidiram também que a haverá ação específica contra a diretoria do Banco no dia 10 de agosto, quando ocorrerá paralisação nacional nos locais de trabalho. Chamado pelas centrais sindicais de “Dia do Basta”, a intenção é dar um basta aos desmandos provocados pelo ilegítimo governo de Temer.

Nos próximos dias, a população gaúcha vai conhecer as chapas que irão concorrer ao governo do Estado. A partir do momento da homologação, a intenção do Comando é promover um debate com os candidatos sobre o sistema financeiro estadual e o papel do Banirsul. Também será feito um jornal de grande circulação em todo o Rio Grande do Sul para subsidiar a discussão com a sociedade sobre a importância de manter o Banrisul público.

“É necessário que os funcionários do Banrisul prestem a atenção no posicionamento dos candidatos em relação ao projeto de governo privatista de alguns partidos. Os candidatos que tem a intenção de vender o Banco estão falando abertamente. Caso isso ocorra, a economia gaúcha estará ficando comprometida e o emprego passa a sofrer sérios riscos,” explica Rafael Silva, diretor do Sindicato que esteve presente no encontro e é, também, funcionário do Banrisul.

Com informações da Fetrafi-RS