Política de preços da Petrobras só favorece capital

agenciabrasil-2018529123627122333

 

Para subsidiar o preço do óleo diesel, Michel Temer dilacera orçamentos para políticas públicas, como o enfrentamento à violência contra a mulher, medidas para a saúde e educação. Os dados estão no Diário Oficial da União. Temer planeja tirar R$ 3,4 bilhões das áreas.

Foram cortados R$ 135 milhões destinados ao fortalecimento do SUS (Sistema Único de Saúde). Desse montante, quase 60% o Planalto usou para garantir o desbloqueio de estradas. Já programas de incentivo à instituições de Ensino Superior, perdem R$ 55 milhões. Sem contar a descapitalização de empresas públicas em R$ 2 bilhões.

O governo Temer descobre um santo pra cobrir outro. Políticas sociais nunca foram o foco da agenda neoliberal. Pelo contrário. Não é só isso. O governo também vai aumentar impostos para alguns segmentos, ignorando por completo que o problema tem de ser resolvido na raiz. É preciso mudar a política de preços da Petrobras.

Mas, a agenda neoliberal atua para favorecer o grande capital internacional. Desta forma, retira dinheiro dos que precisam, aniquilando políticas públicas e programas sociais dos mais pobres, para atender a interesses das multinacionais, como a Shell.