Sindicato participa de reunião para debater assédio e previdência no Santander

43684156_254706571756051_5185168176551297024_n

Os diretores Luís Diogo e Fábio Silveira – ambos funcionários do Santander – estiveram na capital gaúcha, no dia 28 de setembro, na sede da Fetrafi, participando de reunião que discutiu o assédio moral praticado pelo banco e a insegurança dos trabalhadores quanto ao futuro do SantanderPrevi. Os representantes do banco, no encontro, foram: o diretor de rede, Luís Ricardo, e a gerente de relações sindicais, Fabiane Ribeiro.

A postura do Santander, em relação aos seus funcionários, tem preocupado o Sindicato. As denúncias dão conta de que existe uma posição desrespeitosa em relação à cobrança de metas por parte da Superintendência da Regional Sul. O assédio moral, que foi denunciado ao Sindicato, indica que os funcionário têm recebido mensagens pelo WhatsApp fora do horário de trabalho. Além disso, durante os exames periódicos e de retorno ao trabalho, os médicos conveniados com o banco estariam negando o afastamento de funcionários – sendo avaliados como “aptos” – mesmo não estando em condições de voltar ao exercício das suas funções.

“Só aqui na região de Pelotas, 80% das demissões ocorridas, esse ano, foram à pedido dos funcionários. Mesmo em uma conjuntura desfavorável, com o aumento do desemprego, em todo o país, os bancários preferiram pedir demissão, tamanho o assédio que estão enfrentando por meio do uso de aplicativos de mensagem instantânea, mesmo em seus horários de descanso”, explicou Diogo.

Durante a reunião, representantes dos sindicatos de Porto Alegre e Caxias do Sul também fizeram queixas em relação ao foto do mesmo expediente estar sendo usado por parte das superintendências da capital e da serra.

Os representantes do banco acolheram as denúncias e, nesta semana, enviaram para o movimento sindical – e as agências citadas – um Guia de Boas Práticas para o uso de aplicativos de mensagens instantâneas no Santander. A orientação do sindicato é para que, caso algum funcionário do banco siga sofrendo qualquer tipo de assédio, denuncie. Só assim poderão ser tomadas as devidas providências.

 SantanderPrevi

Com o encerramento do plano de previdência para os bancários que ingressaram no Santander, a partir do mês de setembro, criou-se um clima de insegurança por parte dos funcionários do banco. Procurando assegurar os direitos dos trabalhadores, o movimento sindical cobrou dos representantes do Santander uma posição também a respeito deste tema.

Em fevereiro, o SantanderPrevi foi encerrado para novos participantes. Em abril, o banco anunciou um novo plano. Com isso, 258 funcionários aderiram a este novo plano. Em setembro, o banco comunicou que iria retirar o patrocínio. Esse processo levou à insegurança em relação ao futuro do SantanderPrevi, no entanto, o banco assegurou que não haverá qualquer tipo de alteração nesse sentido. Mesmo assim, o  Sindicato permanece vigilante quanto a qualquer possibilidade de perda de direito dos trabalhadores.

Seeb imprensa Pelotas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *