De barões do café a banqueiros: a origem de dois dos maiores bancos privados do Brasil

fo

Rafael da Silva* Dois dos grandes bancos privados do país – Itaú e Bradesco – se desenvolveram a partir de capitais prévios dos seus proprietários, os quais, no passado, financiavam a produção e a comercialização do café. O Itaú pertence às famílias Setúbal, Vilela e Moreira Salles; já o Bradesco foi fundado por Amador Aguiar. As duas instituições financeiras cresceram através de inúmeras fusões, aquisições e incorporações de outros bancos e, somente devido ao patrimônio adquirido ao longo da história e ao íntimo relacionamento com…

Leia Mais

História do cotidiano e as memórias…

Jos_e_Masse_Whats_in_the_head_from_a_reader

César de Lima de Melo* Precisamos priorizar a educação para leitura do mundo e do nosso dia a dia. Precisamos também conversar sobre política de forma séria, pois as políticas governamentais determinam os rumos do acesso digno à educação, saúde, segurança, transporte, saneamento e diversos serviços que pagamos sem ter o retorno esperado. Segundo o historiador Jacques Le Goff “a memória é a propriedade de conservar certas informações, […] sendo a memória social um dos meios fundamentais para se abordar os problemas do tempo e…

Leia Mais

Fidel não é Deus (Deus não existe)

000_IG69N_src

Há quem diga que, para nós da esquerda, Fidel é Deus. Há quem diga que, para nós da esquerda, Cuba é um paraíso. E nós dizemos que nada disso é verdade. Fidel não é Deus porque Deus não existe; e Cuba não é um paraíso porque no paraíso não há guerra. Fidel não é Deus, mas sobreviveu a 637 atentados; Cuba não é um paraíso, mas tem o melhor sistema de educação e de saúde pública da América Latina e do Caribe, e um dos…

Leia Mais

Cerco aos bancos públicos e o futuro do Brasil

size_960_16_9_bradesco-itau-5902

Nos últimos meses, o governo brasileiro não apenas está tomando medidas temerárias do ponto de vista estratégico como também o está fazendo na contramão do mundo, em um momento em que o nacionalismo e o Estado se fortalecem, como reação à globalização, até mesmo pelas mãos da extrema direita, nos países mais desenvolvidos. O que vem sendo apresentado, com a cumplicidade de uma mídia imediatista, irresponsável e descomprometida com os objetivos nacionais, não passa de uma sucessão de “negócios” apressados e empíricos que têm como…

Leia Mais