Brasileiros passam fome com Bolsonaro

Design sem nome – 2022-04-14T101323.257

Antes destaque mundial em políticas de combate à fome, o ultraliberalismo do governo Bolsonaro faz disparar o número de famílias em insegurança alimentar ou com fome, a disputar ossos descartados por açougues. Situação que pode piorar com o descontrole da inflação, o aumento do desemprego e do custo de vida.

A fome atinge níveis recordes no país. Para completar, Bolsonaro ignora o “ronco do estômago” de milhões de pessoas e nada faz para resolver o problema. Pelo contrário. As políticas atendem ao grande capital, base de sustentação do governo. Pesquisa divulgada recentemente pelo Instituto Datafolha mostra um cenário preocupante.

De acordo com o levantamento, 15% dos brasileiros – cerca de 32 milhões de pessoas -, deixaram de fazer alguma refeição em 2021, porque não tinham dinheiro para comprar comida. E 26% – ou 55 milhões de pessoas – haviam comido menos do que necessitavam para se manter saudável.

Paralelamente, em torno de 20 milhões de pessoas passam fome no país, ou seja, não têm nada para comer. Pior. Não sabem quando vão conseguir fazer uma refeição no dia. Um cenário desolador e que precisa ser tratado como prioridade, porque quem tem fome não pode esperar.

Fonte: Sindicato dos Bancários da Bahia