Combater o assédio para preservar a saúde mental

Design sem nome (2)

Durante a pandemia de Covid-19, iniciada em março de 2020, os bancários se depararam com uma face ainda mais perversa do assédio moral. As novas modalidades de trabalho facilitaram a cobrança excessiva por resultados.  

Não foram raros os casos de extrapolação da jornada de trabalho, excesso de demanda e cobranças por metas abusivas. Fatores que contribuem para o aumento do adoecimento entre os trabalhadores.

Para 2022, o movimento sindical vai aumentar a mobilização contra a precarização do trabalho e por melhores condições de trabalho. Preservar a saúde do trabalhador é prioridade. É preciso gerenciar a pressão por resultados a fim de que seja possível crescer de forma justa e sustentável. O lucro não pode estar acima de tudo e todos. 

Fonte: Sindicato dos Bancários da Bahia (SBBA)