Pfizer e Biontech anunciam que vacina é segura e eficaz para crianças de 5 a 11 anos

20210607-vacina-pfizer-1080×679

Por Luís Gomes / Sul 21

As farmacêuticas Pfzer e Biontech, responsáveis pela produção da Comirnaty, informaram nesta segunda-feira (20) que o imunizante gerou uma imunidade “robusta” contra a covid-19 nas fases 2 e 3 dos teste clínicos realizados com crianças de 5 a 11 anos. Os testes foram realizados com doses de 10 microgramas da vacina, o que representa cerca de um terço da dosagem usada nos imunizantes destinados a crianças e adolescentes, administradas em um intervalo de três semanas.

Segundo as empresas, as doses foram bem toleradas e produziram uma resposta imune e efeitos colaterais semelhantes aqueles verificados em estudos de jovens de 16 a 25 anos, que incluem fadiga, dores musculares, dor de cabeça, febre e náusea.

O estudo foi realizado com 2,2 mil crianças e será encaminhado à agência reguladora de medicamentos dos EUA, a FDA, o “mais breve possível”. “Estamos ansiosos para estender a proteção conferida pela vacina a esta população mais jovem, sujeita a autorização regulatória, especialmente porque rastreamos a disseminação da variante Delta e a ameaça substancial que ela representa para as crianças”, disse o CEO da Pfizer, Albert Bourla, em comunicado emitido pelas empresas. “Desde julho, casos pediátricos de covid-19 aumentaram em cerca de 240% nos Estados Unidos, enfatizando a necessidade de saúde pública de vacinação”, diz também o comunicado.

As empresas não informaram detalhes específicos do teste clínico, como, por exemplo se as crianças que participaram do teste desenvolveram miocardite, uma doença cardíaca que pode ser desenvolvida a partir da covid-19.

A Pfizer também deve divulgar até o final do ano os resultados de testes clínicos da vacina que estão sendo realizados com crianças de seis meses a 5 anos de idade.

Fonte: Sul 21

Foto: Ascom Sesau/Carla Cleto