Bolsonaro descarta taxar as grandes fortunas

desigualdade-social

Enquanto quase 20 milhões de brasileiros passam fome, o presidente Jair Bolsonaro descartou a possibilidade de instituir impostos sobre grandes fortunas. A medida é essencial para reduzir as desigualdades sociais seculares do país. 

Durante um discurso, nesta terça-feira (02/08), Bolsonaro criticou a proposta de taxação das fortunas e ainda ironizou a condições dos ricos. “É um crime agora ser rico no Brasil”, disse. 

A taxação das grandes fortunas ajudaria o país a superar as crises econômica, resultado da política ultraliberal imposta pelo governo, e sanitária. Aumentar impostos garante a proteção de quem mais precisa neste momento, como pessoas sem renda e trabalhadores informais. 

Só que Bolsonaro não está nem aí para socorrer a população. O relatório da Oxfam mostra a situação preocupante do país. O Brasil está entre os focos emergentes de fome, ao lado da Índia e da África do Sul.

Fonte: SBBA