Desemprego atinge mais as mulheres na pandemia

Design sem nome – 2021-02-23T171632.395

No Brasil, os impactos da pandemia no mercado de trabalho têm sido mais cruéis para as mulheres. Entre janeiro e agosto de 2020, 10 milhões de trabalhadoras foram demitidas. Dos postos de trabalho perdidos devido à crise sanitária e econômica, elas ocupam cerca de 70%.  

Com a retomada do volume de vagas, a partir de julho, com o afrouxamento das medidas de isolamento social, que gerou 900 mil empregos, 77% foram ocupados por homens. As mulheres que foram dispensadas não foram readmitidas no período de contratação. Entre os setores mais atingidos estão o de trabalho doméstico e o de alojamento e alimentação, que concentram grande maioria das mulheres e negras. 

O público feminino enfrenta um cenário cada vez mais preocupante e dramático. A perda do trabalho significa perder renda, autonomia e soberania. Tudo que engloba várias dimensões da violência e maior submissão ao trabalho doméstico.

Fonte: SBBA