Movimento sindical quer garantia de participação dos banrisulenses nas eleições do CA

banrisul-lucra-mais-de-r-1-bilhao-em-2017_5c8f3bff9861c5e83198c94b75240bc3

Foi negada, pela Juíza do Trabalho Aline Rebello Duarte Schuck, da 23ª Vara do Trabalho de Porto Alegre, pedido de liminar que buscava a imediata suspensão das eleições do Conselho de Administração no Banrisul. Com a negativa, o Sindicato dos Bancários de Porto Alegre e a Fetrafi-RS garantiram, ontem, quarta-feira (17), que irão ingressar com um Mandado de Segurança.

Entenda o caso

O movimento sindical foi surpreendido, no final de 2020, com a abertura do processo eleitoral para o Conselho de Administração do Banrisul. Antiga reivindicação dos banrisulenses, a abertura do processo poderia ser vista como um presente, porém o banco resolveu realizar as eleições para o representante dos funcionários sem qualquer diálogo com os Sindicatos, restringindo o pleito apenas a candidatos que desempenham funções de altos executivos no banco por mais de quatro anos.

Desde que o processo foi aberto, o movimento sindical vem fazendo movimentos para suspender a eleição no formato que propõe o Banrisul, tendo em vista que o processo restringe excessivamente a participação e exclui praticamente todo o quadro funcional da possibilidade de candidatar-se ao cargo.

O primeiro passo foi enviar uma notificação à diretoria do Banrisul, pedindo esclarecimentos e a abertura urgente de negociação para debater parâmetros inclusivos de participação no pleito ao CA, como já acontece no Banco do Brasil e na Caixa. Só assim houve algumas rodadas de negociação e o processo eleitoral chegou a ser suspenso por sete dias. Porém, no dia 14 de janeiro, o banco publicou um novo edital, mantendo as mesmas restrições que motivaram os questionamentos dos sindicatos.

Houve uma nova reunião no dia 22, em que não houve sucesso para mudar os requisitos mínimos. Sem sucesso na via negocial, o Sindicato ingressou com uma ação jurídica, questionando a restrição imposta no edital de eleição para o Conselho de Administração e vai até aonde for preciso para defender os direitos dos banrisulenses de terem seu representante no CA.

Fonte: Imprensa/SindBancários, com edição do SEEB Pelotas