Saúde Caixa: banco não apresenta relatório atuarial e financeiro de 2020

15SAUDE400-100 15.12

Na reunião virtual do Conselho de Usuários, representantes eleitos reafirmaram o compromisso pelo fortalecimento e pela transparência do plano de saúde

É sempre mais do mesmo e, nos últimos anos, a situação vem ocorrendo ao fim de cada exercício. A Caixa Econômica Federal, mais uma vez, não apresentou os relatórios atuarial e financeiro de 2020 do Saúde Caixa aos membros eleitos do Conselho de Usuários, apesar de compromisso anteriormente assumido. Em reunião ordinária on-line ontem, terça-feira (15), a última deste ano, a justificativa dada pelos representantes do banco foi de mudança na empresa contratada para a realização das projeções, duas semanas atrás, o que impossibilitou que o trabalho fosse concluído a tempo, com validação do documento por parte das áreas técnicas.

Diante disso, e depois dos protestos dos conselheiros eleitos contra o desrespeito da empresa, uma reunião extraordinária foi agendada para o dia 15 de janeiro de 2021. A Caixa comprometeu-se em apresentar os documentos assim que estivessem disponíveis, previstos para o fim de dezembro deste ano. Na ocasião, os conselheiros eleitos lembraram que a não apresentação dos relatórios e da projeção para o ano seguinte na data prometida vem se tornando recorrente, o que descumpre o Acordo Coletivo de Trabalho (ACT).

Há consenso de que, para análise dos relatórios, a realização de uma reunião extraordinária não só é necessária, mas também torna-se fundamental para que os representantes eleitos possam avaliar o desempenho do plano, conforme prevê o Regimento Interno do Conselho de Usuários.  Para a conclusão dos documentos, os conselheiros eleitos ficaram de encaminhar à Gerência Nacional de Assistência à Saúde (Gesad) alguns apontamentos ou propostas até a próxima quinta-feira, dia 17 de dezembro.

Como consta na lista de alterações do ACT 2020/2022, a instalação do Grupo de Trabalho – Saúde Caixa, uma conquista da Campanha Nacional dos Bancários 2020, voltou a ser cobrada. O tema, aliás, foi alvo de reivindicação recente da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf/CUT), por correspondência encaminhada à direção do banco.

Na reunião, os conselheiros também voltaram a cobrar o compromisso da Caixa pelo fortalecimento e pela transparência do plano. Foi reafirmada a necessidade, cada vez maior, do aperfeiçoamento dos relatórios atuarial e financeiro do Saúde Caixa, na perspectiva de que o respeito aos usuários seja mantido e preservado. Os representantes do banco, por outro lado, alegaram limitações de gestão no fornecimento de informações detalhadas sobre o conteúdo dos documentos.

Foram prestados, de maneira resumida, esclarecimentos sobre alguns itens da pauta. Uma das questões levantadas foi a respeito do processo de reestruturação na Vice-Presidência de Pessoas (Vipes) e as mudanças no âmbito da Gesap. Informações também foram dadas sobre temas como o atendimento especializado para portadores de autismo e outras patologias, a instabilidade dos sistemas de acesso do atendimento do Saúde Caixa e as expulsões de usuários por falta de atualização cadastral e por ausência de cobrança, além de interrupções nos processos de credenciamento.  

Fonte: Fenae, com edição Seeb Pelotas

Arte: Fenae