Corte no SUS compromete combate à pandemia

Design sem nome – 2020-12-10T115531.567

Os efeitos da crise causada pela Covid-19 estão longe de serem superados, sobretudo, por conta da falta de ações do governo Bolsonaro. Sem a aprovação de um regime orçamentário de exceção, o combate à pandemia ficará ainda mais comprometido. 

O SUS (Sistema Único de Saúde), entre 2018 e 2020, registrou perdas de R$ 27,5 bilhões no Orçamento da União. A queda aconteceu por conta da Lei do Teto de Gastos, que entrou em vigor em 2017, após ser aprovada no ano anterior, durante o governo Temer. Além da falta de verbas, o governo Bolsonaro não apresenta um plano de vacinação, que garanta imunização para toda a população. Enquanto isso, a doença se alastra pelo país.

Ao mesmo tempo em que faz pouco caso da pandemia, com seu negacionismo de praxe, Bolsonaro vê o total de mortos em sete dias volta a superar a marca de quatro mil no Brasil. De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), houve avanço de 35% nos casos da doença no país, na comparação com a semana anterior. 

Os dados da OMS colocam o Brasil como o local com maior aumento percentual entre os cinco mais atingidos no período. Enquanto o presidente subestima a letalidade e o poder de disseminação da Covid-19, o país acumula mais de 178 mil mortes pelo coronavírus. 

Fonte: SBBA

Arte: Seeb Pelotas