Curva de casos de covid-19, no Brasil, volta ao mesmo patamar de agosto

20200730-mauricio-vieira-secom-sc-1024×613

O número de casos de covid-19 teve um acréscimo de 43.209 doentes neste sábado (5), fazendo com que Brasil tenha registrados, oficialmente, 6.557.177 casos. A evolução semanal das contaminações pelo novo coronavírus apresentou a maior taxa de registros desde a segunda semana de agosto. Nos sete dias encerrados ontem, 286.905 pessoas foram diagnosticadas, embora esses registros possam corresponder a teste feitos anteriormente a que ainda não haviam sido notificados. A informação é do Conselho Nacional das Secretarias de Saude (Conass). E revelam que retomada da curva epidemiológica no país volta a apresentar situação alarmante de crescimento de contágios.

O total de pessoas mortas pela covid-19 desde o início na pandemia chegou a 176.628. O número de óbitos registrados na semana epidemiológica de 29 de novembro a este 5 de dezembro é o maior desde o registrado na semana encerrada em 10 de outubro. Foram 664 mortes informadas em 24 horas ontem, totalizando 4.067 em sete dias, ante 4.231 há dois meses.

Na página da Conass, os gráfico é interativo pode ser manuseado, permitindo acesso a várias abordagens permitidas pelo números, inclusive por estado

O estado de São Paulo é o que apresenta maior número de casos, com 1.285.087 infectados e 42.969 mortes desde o início da pandemia. O estado governado por João Doria (PSDB), apesar da subnotificação dos registros e da baixa testagem em larga escala, já superou a maioria dos países do mundo em contágios. Apenas nove estão acima: Estados Unidos, Índia, França, Rússia, Espanha, Reino Unido, Itália, Argentina e Colômbia. A ocorrência de mortes por milhão de habitantes está em 936 em São Paulo.

Minas Gerais é o segundo estado com maior número de casos, 438.304, seguido de Bahia (419.044), Santa Catarina (393.602), Rio de Janeiro (370.267) e Rio Grande do Sul (346.801). Mas o Rio é o segundo estado com mais vítimas. O estado soma 23.099 óbitos, e tem taxa de mortalidade de 1.338 por milhão de pessoas.

Taxa de mortalidade

Mais de 66 milhões de pessoas já contraíram o coronavírus no mundo, e 1,52 milhão de morreram de covid-19. No total brasileiro, a taxa de mortalidade é 840 por milhão de habitantes. O movimento é de alta e já coloca o país entre os mais letais do mundo para quem adoece de covid-19. Só fica abaixo de Bélgica (1.508/milhão), Peru (1.128), Espanha (990), Itália (974), Reino Unido (913), Argentina (888), México (863), Bósnia-Herzegovina (862) e EUA (853).

O Brasil é o terceiro país com mais contágios, atrás apenas dos Estados Unidos (14,5 milhões de casos) e da Índia (9,6 milhões). Mas é o segundo em número de mortos, depois dos EUA (280 mil pessoas). A Índia chegou a impor uma das maiores quarentenas do mundo no início da pandemia. Mas depois de ter flexibilizado as restrições, tornou-se a terceira nação com mais mortos, 139 mil.

Fonte: Sul 21 / RBA

Foto: Mauricio Vieira/Fotos Públicas