Na pandemia, informalidade tem terceira alta seguida

informalidade

Sem oferta de emprego formal e investimento do governo Bolsonaro para assegurar a renda do brasileiro, a via de mais fácil acesso ao mercado de trabalho é a informalidade. É o que tem salvado muita gente na pandemia de Covid-19. Tanto é que o número de trabalhadores informais no país teve a terceira alta consecutiva em outubro. 

O Brasil encerrou outubro com 29 milhões de trabalhadores informais. Em julho, eram 27,3 milhões. Desta forma, a taxa de informalidade ficou em 34,5% no mês.

Além de não estarem cobertos por nenhuma regulamentação e proteção legal, os profissionais informais deixam de contribuir para a Previdência Social e de possuir benefícios como FGTS, férias ou 13º salário e arcam com todo o custo da atividade que desempenham. 

Fonte: SBBA

Foto: Eduardo Menezes/Seeb Pelotas