Governo exclui milhões de pessoas do auxílio emergencial

Lançamento do aplicativo CAIXA|Auxílio Emergencial

O governo Bolsonaro demonstra não se importa com a população que precisa do auxílio emergencial para sobreviver. Além de prorrogar o benefício por apenas R$ 300,00, as parcelas extras não serão pagas para todos os beneficiários. Pelos novos critérios, serão excluídas, pelo menos, 5,7 milhões pessoas dos 6,2 milhões que já receberam o dinheiro. 

A MP 1000 estabelece que o pagamento das quatro novas parcelas seja realizado até 31 de dezembro. No caso do trabalhador que só começou a receber o benefício em julho, por exemplo, só terá direito a apenas mais uma parcela até o final do prazo. 

Desde o início do cadastro e pagamento do auxílio emergencial, os brasileiros enfrentaram diversas dificuldades devido aos erros do governo federal, como falhas no sistema, filas enormes nas agências da Caixa, negativas do Ministério da Cidadania e da Dataprev. 

Em julho, 4,4 milhões de domicílios sobreviveram apenas com os R$ 600,00 do benefício, segundo o Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada).

Fonte: Sindicato dos Bancários da Bahia

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil