Grupo de Estudos da UFPel divulga informações sobre setembro amarelo

WhatsApp-Image-2020-09-08-at-09.08.50

O suicídio é um fenômeno presente ao longo de toda a história da humanidade. É um comportamento que está vinculado a múltiplos fatores que compõem a vida de um indivíduo, e que representa uma atitude extrema de uma pessoa em sofrimento.

Depressão, dependência química, transtorno bipolar e outras doenças mentais podem levar ao suicídio, se não tratadas. Dados da OMS de 2019 revelam que, a cada 40 segundos, uma pessoa põe fim à própria vida.

Com as atuais medidas de isolamento, o medo, o distanciamento físico e vulnerabilidades socioeconômicas podem intensificar os efeitos da pandemia da COVID-19 na saúde mental da população. Desse modo, saber identificar alguns sinais de risco para o suicídio é fundamental para oferecer ajuda.

Mudanças bruscas de hábito, perda de interesse por atividades de que gostava, descuido com a aparência, alterações no sono e no apetite, sentimentos de desesperança e comentários com tom de desespero são sinais de alerta. Fique atento e demonstre cuidado por seus amigos e familiares.

Oriente e auxilie na procura por um profissional ou por Centros de Atenção Psicossocial.

O Setembro Amarelo é uma campanha idealizada pela Associação Brasileira de Psiquiatria, em parceria com o Conselho Federal de Medicina para conscientização em relação ao suicídio.

Este período de isolamento social é desafiador para a manutenção da saúde mental. Por isso, mesmo à distância, mantenha ativo o contato com amigos e familiares. Participe desse movimento de prevenção ao suicídio e ajude a salvar vidas.

Confira o documento em  Setembro-Amarelo-em-meio-a-pandemia-de-COVID-19-1.

Fonte: UFPel