Mobilização faz Fenaban recuar na retirada de direitos

Branco Azul Verde e Amarelo Montagem de Fotos Moderno Recursos para Novos Contratados Apresentação Empresarial (9)

Nesta quinta-feira (27), às 14h, o Comando Nacional dos Bancários volta a se reunir com Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), mas, desta vez, com algum avanço em relação às rodadas de negociação anteriores. Os representantes dos bancos sentiram a pressão da categoria e recuaram na retirada de direitos. Depois de muita insistência, ficou acertada a manutenção da Participação nos Lucros e Resultados (PLR), respeitando a regra existente.

Nas negociações anteriores, os bancos insistiram na redução dos limites de distribuição do lucro líquido, mas o Comando Nacional rejeitou a proposta, principalmente, porque os bancos têm mantido a lucratividade em alta, mesmo durante a Pandemia. 

A Fenaban também recuou na mudança do período de pagamento do benefício emergencial de salário para o funcionário que recorre da alta indevida pelo INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), prevalecendo os 120 dias.

Apesar de mudar um pouco o posicionamento e alterar a proposta de reajuste salarial, os bancos mantiveram o aumento zero para 2020, com abono de R$ 1.656,00. Em 2021, os salários seriam corrigidos pelo INPC, sendo 70% em setembro e 30% em dezembro.

Com informações da Contraf-CUT e do SEEB-BA