Governo veta preferência às mães no auxílio emergencial

organização pan americana de saude

Após aprovação do Congresso Nacional, o governo vetou integralmente o projeto de lei que dava preferência às mulheres no pagamento de R$ 1.200,00 do auxílio emergencial na pandemia do coronavírus.

Chefes de família poderiam solicitar uma cota dupla do auxílio, que é de R$ 600,00. Como o texto abrangia homens ou mulheres que chefiavam os lares sem ajuda de um cônjuge, houveram muitas denúncias que homens que não são responsáveis pela família e que estavam separados, estariam recebendo o valor indevidamente.

Qualquer divergência de dados, a preferência seria dada à mulher, de acordo com o texto da lei. O questionamento por parte dos homens poderia ser realizado caso possuíssem a responsabilidade pela guarda dos filhos.

Mas o governo preferiu vetar o projeto, prejudicando a milhares de famílias que necessitam do valor neste momento de crise causada pela pandemia. A justificativa do corte foi que “não há estimativa do impacto orçamentário e financeiro dessa proposição”. A prova que famílias de baixa renda não tem o menor valor para o presidente. 

Fonte: Sindicato dos Bancários da Bahia

Foto: Organização Pan Americana de Saúde