Leite diz não se arrepender de ter votado em Bolsonaro e defende agenda de Guedes

reprodução tv cultura

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), disse, na noite da última segunda-feira (20), que não se arrepende de ter votado e declarado apoio ao presidente Jair Bolsonaro na eleição de 2018. Em entrevista ao programa “Roda Viva”, da TV Cultura, Leite criticou a postura de Bolsonaro diante da pandemia do novo coronavírus, mas não mostrou arrependimento em relação à escolha que fez na eleição presidencial. “Não tenho arrependimento porque dada aquela circunstância, naquela situação, acho que seria muito ruim um retorno do PT ao poder”, disse o governador gaúcho, sem explicitar no que a escolha pelo candidato petista Fernando Haddad seria pior do que a feita por Bolsonaro.

Apesar de não se dizer arrependido, Leite criticou o que apontou como “erros” do governo Bolsonaro. “O governo federal errou, Não foi só uma omissão, foi confronto”, que levaram a “um aprofundamento da divisão do povo brasileiro”. Por outro lado, manifestou concordância com a política central do governo Bolsonaro, conduzida pelo ministro da Economia, Paulo Guedes. Leite disse ter “absoluta convergência” com a maior parte da agenda econômica do governo. “O Estado precisa rever os seus gastos, austeridade fiscal, mais participação do setor privado”, afirmou o governador, repetindo o mantra ultraliberal do ministro da Economia. Leite lamentou que o “ambiente difícil” criado pelo presidente dificulte a implementação dessa agenda.

O governador também negou estar cedendo a pressões no modelo de distanciamento controlado, embora, mais uma vez, regiões assinaladas com bandeiras vermelhas no final de semana, passaram para bandeira laranja na segunda-feira, cedendo às reivindicações de prefeitos e líderes empresariais dessas regiões. “Esse modelo é flexível justamente para ser resistente”, afirmou Leite.

A afirmação de Eduardo Leite sobre seu não arrependimento em ter votado em Bolsonaro foi motivo de várias críticas nas redes sociais. Confira algumas dessas repercussões:

Fonte: Sul21

Foto: Reprodução/TV Cultura