IBGE aponta efeitos da pandemia no mercado de trabalho

trabalho-covid

Somente em maio, o país tinha 169,9 milhões de pessoas com idade para trabalhar, mas apenas 84,4 milhões (49,7%) estavam ocupadas. Os dados são do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), que lançou a Pnad Covid-19, para acompanhar os efeitos da pandemia no mercado de trabalho. 

Na última semana de maio, quase 18 milhões de pessoas não conseguiram procurar emprego devido à pandemia ou por falta de vagas na região. Outros 11 milhões tentaram, mas não encontraram.

Sobre as pessoas ocupadas no país, a pesquisa aponta que quase 15 milhões estavam afastados, em quarentena ou férias coletivas, e 8,8 milhões trabalharam de forma remota. 

A taxa de informalidade caiu de 35,7% para 34,5%. Em números, são 29,1 milhões. O volume de serviços também reduziu 11,7% entre março e abril, sendo o pior resultado da série histórica, iniciada em 2011.

De acordo com a Pnad Covid-19, somente na última semana do mês passado cerca de 3,6 milhões de pessoas procuraram atendimento médico com sintomas de gripe. Mais 80% foram na rede pública de saúde. 

Muitas pessoas optaram por não procurar orientação profissional ao apresentar sintomas de gripe, chegando a mais de 18 milhões, e 58,6% tomaram medicação por conta própria.  

Fonte: Sindicato dos Bancários da Bahia