Número de pacientes internados em UTIs de Porto Alegre por covid-19 aumenta 50% em uma semana

20200316-img_9766

No dia 4 de junho, o boletim epidemiológico divulgado diariamente pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Porto Alegre indicava que as UTIs dos hospitais da cidade contavam com 44 pacientes que testaram positivo para covid-19. Uma semana depois, no boletim de quarta-feira (10), este número saltou para 67, uma alta de 52%, a maior desde março.

O rápido aumento nos casos de internações já havia chamado a atenção da Prefeitura no início da semana. Na última segunda-feira (8), o prefeito Nelson Marchezan Júnior (PSDB) informou que a preocupação com o aumento de pacientes em UTIs por covid-19 durante o último final de semana levou o governo municipal a suspender o anúncio de uma nova rodada de relaxamento das restrições impostas no início da quarentena. Dois dias depois, a tendência de alta volta a ser confirmada.

Na quarta-feira (4), 44 pacientes estavam internados. No dia seguinte, o número subiu para 46, mantendo-se estável no sábado (6). No domingo, o primeiro salto, de 46 para 54. Na segunda (7), novo salto, para 62. Na terça, uma pequena redução para 61, voltando a subir na quarta, para 67.

Evolução do número de pacientes internados em UTIs de Porto Alegre | Fonte: PMPA

UTIs lotadas

O salto de internações por covid-19 ocorre num momento em que os hospitais de Porto Alegre começam a ficar com suas UTIs lotadas. Segundo dados do monitoramento feito pela Prefeitura, os hospitais Cristo Redentor, Independência, Femina e Restinga estão com 100% de lotação. Vale ressaltar que estes hospitais não são a referência para o tratamento de covid-19 e, juntos, somam apenas uma internação de um paciente com suspeita de covid-19, mas nenhum caso confirmado.

Os principais hospitais da rede pública que atendem pacientes com covid-19, o Clínicas e o Conceição, estão com 72% e 85% de suas UTIs ocupadas.

Na rede privada, o Moinhos de Vento é o hospital que abriga o maior número de pacientes, 9 confirmados e 2 sob suspeita. A instituição está com uma taxa de ocupação de UTIs de 89%.

Ao todo, a capital está com uma taxa de ocupação de UTIs de 81,05%. Para efeito de comparação, a mesma taxa no Rio Grande do Sul é, neste momento, de 72,7%.

Ocupação de UTIs é monitorada diariamente pela Prefeitura | Fonte: PMPA

Com informações Sul21

Foto: Luiza Castro/Sul21