Bolsonaro só aplicou 35% da verba para combate à covid-19

ooo (8)

Foto: Marcos Côrrea/Fotos públicas

Passados três meses da confirmação do primeiro caso de covid-19 no Brasil, o governo Bolsonaro só aplicou 35,5% da verba emergencial destinada ao enfrentamento da pandemia. Dos R$ 319 bilhões remanejados por meio de várias medidas provisórias, apenas R$ 112,7 bilhões foram executados.

A maior parte (68%) foi investida no auxílio emergencial de R$ 600, do qual metade do valor autorizado – R$ 76,8 bilhões – foi utilizado. Os dados são do portal Siga Brasil, sistema do Senado Federal para monitoramento do orçamento da União.

O país tem 26 mil mortos e 418 mil casos confirmados de covid-19 até o momento. Mas a saúde recebeu até agora R$ 10,1 bilhões dos R$ 39,7 bilhões destinados ao setor (25,5%). O montante precisa ser encaminhado aos estados e municípios para compra de equipamentos e materiais. Governadores e prefeitos têm reclamado reiteradamente da falta de repasse de verbas e equipamentos pelo Ministério da Saúde, inclusive respiradores.

Dois itens destinados a apoiar empresas e evitar a demissão de trabalhadores em meio à pandemia também tiveram pouco investimento da verba autorizada. A concessão de financiamento para o pagamento de folha salarial teve execução de R$ 17 bilhões, dos R$ 34 bilhões autorizados (50%). O benefício emergencial de manutenção do emprego e da renda teve apenas R$ 5,8 bilhões gastos, dos 51,6 bilhões destinados (11,4%).

Já o repasse do auxílio financeiro direto a estados e municípios para apoiar ações de enfrentamento à pandemia de covid-19 foi ínfimo. Dos R$ 40,7 bilhões autorizados nas medidas provisórias, apenas R$ 10,5 bilhões foram repassados (26%).

Fonte: Sul21 e Rede Brasil Atual