Simp critica demora no retorno de pedidos de afastamento de servidores de grupos de risco

unnamed (1)

O Sindicato dos Municipários (SIMP) tem recebido diversas queixas, por parte de servidores integrantes do quadro de serviços essenciais, quanto à demora do Departamento de Saúde e Segurança do Trabalho da Secretaria da Administração e Recursos Humanos (SARH), antiga Biometria, em dar retorno aos pedidos de afastamentos, feitos por parte de grupos de risco, em razão da pandemia. Além da demora, a entidade também destacou a exigência de inúmeros exames complementares e atestados médicos.

Pela regulamentação anterior, o servidor preenchia e encaminhava a autodeclaração da doença preexistente e aguardava o retorno em casa. Este procedimento foi modificado com o decreto atual, que obriga os servidores a aguardarem o retorno do pedido trabalhando. Porém, a demora dos resultados, que está ocorrendo devido a um alegado excesso de demanda, põe em risco a vida dos trabalhadores que estão no grupo de risco da COVID-19.

Outra situação recorrente é a redução do valor do vale alimentação de quem esteve em atestado médico de quinze dias por síndrome gripal. Segundo o decreto em vigor, não poderá haver nenhum prejuízo financeiro para servidores que se afastam em decorrência da COVID-19. Portanto, o Simp está buscando, junto a Secretaria de Recursos Humanos, o ressarcimento dos descontos efetuados, inicialmente efetuados com certa agilidade, mas, no momento, com bastante demora por parte da Secretaria.

Segundo a diretora da entidade, Claudia Beatriz Neto Correia, o sindicato está trabalhando para compreender o aumento da demanda e toda a dificuldade administrativa, no entanto, o Simp não pode aceitar seus servidores penalizados financeiramente e tenham sua saúde em risco.

“O Sindicato dos Municipários está atento à situação, esperando que os entraves sejam solucionados o mais breve possível para que não tenhamos que nos posicionar de forma mais contundente. Nos colocamos à disposição dos servidores que forem atingidos por uma destas situações através do telefone (Whatsapp) 98116-7315”, finaliza Claudia.

Com informações Diário da Manhã