Bolsonaro indica diretor do Santander para BC

38532_ext_arquivo (1)

Em um momento que a autonomia do Banco Central é discutida no Legislativo, Jair Bolsonaro indicou Roberto Campos Neto, executivo do Santander e economista, para comandar órgão a partir de janeiro. O presidente do BC tem status de ministro e, por isso, tem foro privilegiado.

Entre outras coisas, o Banco Central define a Selic, que serve de parâmetro para as demais taxas, como as cobradas no cartão de crédito, cheque especial ou empréstimo. O órgão também fiscaliza os bancos, autoriza o funcionamento deles, estabelece as condições para o exercício de quaisquer cargos de direção nas instituições financeiras.

Roberto Campos Neto só poder assumir o BC após ser sabatinado pela Comissão de Assuntos Econômicos do Senado Federal e ter o nome aprovado. Além de passar pelo crivo do plenário da Casa.

SBBA