Banrisul: manutenção dos direitos do acordo específico dependem de linha adotada pela Fenaban

39168497_463722987467845_4315902225026121728_n

Na manhã da última sexta-feira (10), o Comando Nacional dos banrisulenses e os representantes do Banco estiveram reunidos, na sede Asbancos, no Centro de Porto Alegre. A manutenção dos direitos do acordo específico, ameaçados em virtude da nova legislação trabalhista, só estarão assegurados caso a Fenaban siga um caminho diferente do que se espera.

Os representantes sindicais não se mostram muito otimistas quanto a essa possibilidade. De acordo com Rafael Silva, diretor do Sindicato e funcionário do Banrisul, que esteve presente no encontro, esta foi mais uma negociação com poucos avanços. “O banco argumenta que não pretende retirar direitos, porém, esta decisão depende da negociação com a Fenaban. Fica evidente, com isso, que vem alguma flexibilização trabalhista como contrapartida para renovar o acordo”, enfatiza.

Em relação à pauta de reivindicações dos banrisulenses, entregue ainda no dia 15 de julho, não houve nenhum avanço até o momento. A expectativa é para que se tenha algum desdobramento nessa discussão durante a próxima reunião, que está marcada para o dia 15 de agosto. Os dirigentes sindicais acreditam que o Banco deve aplicar o índice de reajuste das verbas salariais, da PLR e das garantias econômicas assinadas na negociação com a Fenaban. Já as questões relacionadas ao banco de horas, gratificação de funções e renovação do acordo de 2017 o banco possui uma pauta própria, que será apresentada à categoria.

Fique ligado: os banrisulenses têm nova rodada de negociações marcada para quarta-feira (15), às 14h, em Porto Alegre, na sede da Fetrafi.

Seeb Imprensa Pelotas