Fim da ultratividade ameaça CCT

site_2

A lei trabalhista de Temer, que entrou em vigor em 11 de novembro de 2017, acabou com o princípio da ultratividade, segundo o qual um acordo coletivo continuaria valendo até sua renovação. Com isso, todos os direitos dos bancários, conquistados em décadas de luta, estão ameaçados, já que a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) vale até 31 de agosto (a data base da categoria é 1º de setembro).

Confira a página especial sobre o assunto.

Durante a 20ª Conferência Nacional, os bancários aprovaram a entrega de um pré-acordo ao sindicato dos bancos (Fenaban) para garantir a ultratividade da CCT. A proposta de pré-acordo e a pauta de reivindicações da categoria serão entregues à Fenaban (federação dos bancos) na quarta-feira 13.

Arte: Seeb-SP