Banco Santander condenado em R$ 460 milhões

image2-17

 

O MPT (Ministério Público do Trabalho) ajuizou uma ACP (Ação Civil Pública) que abrange todo o país contra o Santander pela constante prática de assédio moral e por submeter os funcionários a metas abusivas. O pedido de indenização por dano moral coletivo foi de R$ 460 milhões.

A partir disso, 3ª Vara do Trabalho de Brasília atendeu ao pedido do MPT. Agora, o banco terá de apresentar mensalmente as metas impostas aos empregados, no período de janeiro de 2015 a março de 2017.

A ACP se deve às constantes denúncias que o Ministério Público do Trabalho e os sindicatos recebem. São todos os tipos de assédio no ambiente de trabalho, pressão psicológica, ameaças implícitas e explicitas de demissão, além de todo tipo de punição pelo não cumprimento.

A gestão do Santander se baseia em estresse e humilhação, prejudicando a saúde dos trabalhadores. O banco pune até mesmo se o bancário não conseguir evitar que clientes façam saques em aplicações.

O MPT ainda requisitou que a Polícia Federal instaurasse um inquérito para apurar crimes de lesão corporal, constrangimento ilegal e frustração do direito assegurado em lei trabalhista. O inquérito ainda vai investigar a exposição da vida e da saúde do bancário a risco.

Fonte: SBBA