Sindicato dos Bancários de Porto Alegre realiza ato em defesa da Banrisul Cartões 

DSC_0447

Para o diretor da Fetrafi-RS, Fábio Soares, com o acúmulo de decisões contra o próprio Banrisul, “o banco já não tem mais direção!”. Ele arrematou: “O Banrisul não é do BTG Pactual (que intermediou a compra de ações), e não existe para jogar dinheiro na contabilidade do governo falido de Sartori. O Banrisul é dos gaúchos”, afirmou.

Apoio político

Todas as manifestações – que incluíram afirmações do deputado Jeferson Fernandes e da vereadora Sofia Cavedon – defenderam o caráter público do grande banco estadual, ameaçado pelo fatiamento que vem sendo imposto pelo governo Sartori.

“Exatamente no ano em que o Banrisul está completando 90 anos de existência, um leilão realizado quase em segredo, com vendas de ações abaixo do preço de mercado, ajuda a corroer e destruir este patrimônio estadual”, denunciou o deputado petista,  Jeferson Fernandes. Ele  chamou a atenção ao lembrar que “a tese dos privatistas é se desfazer do que não dá lucro, mas aqui no RS o Sartori faz o contrário: quer vender um banco altamente lucrativo e que presta um papel social incalculável, inclusive para os pequenos municípios do Estado”.

Tribuna Popular na Câmara Municipal

Já a vereadora Sofia Cavedon disseque, neste episódio do Banrisul, “uma história que a gente já conhece: privatistas vão desmontando as estruturas públicas para depois dizerem que não funciona”, alertou. Ela anunciou que irá realizar na Câmara Municipal de Porto Alegre uma “Tribuna Popular” para debater e denunciar os desmandos do governo estadual sobre o Banrisul.

Diretores servis

“Hoje, enquanto denunciamos o desmonte do banco, está havendo uma reunião interna com diretores que são funcionários de carreira e estão numa posição servil ao governo estadual”, criticou Denise Falkenberg Corrêa, diretora da Fetrafi-RS e funcionária do Banriusl. “É um escândalo, pois o leilão de ações foi coordenado por um diretor do Banrisul que já foi funcionário do BTG Pactual, e é a mesma empresa que intermediou a operação”, denunciou a sindicalista.

Ação judicial

Ao finalizar, Gimenis disse que o Sindicato vai tentar barrar na Justiça as últimas operações de desmonte do Banrisul e estuda uma CPI na Assembleia Legislativa sobre os desmandos do governo Sartori.

Com informações da Assessoria de Imprensa do SindBancários