William Waack não pode assinar contrato com TV aberta pelo período de três anos

waack-3-anos

Cláusula consta na rescisão do antigo vínculo do jornalista com a Rede Globo, além dele ser proibido de comentar publicamente detalhes do acordo

Depois de ser demitido da Rede Globo por se envolver em polêmicas declarações racistas, William Waack decidiu se dedicar ao jornalismo na web. Com previsão de estreia para a segunda quinzena de março, o jornalista está finalizando os detalhes de seu projeto n internet, o “Painel WW”, em parceria com a produtora paulista Infiniti e veiculação ao vivo na All TV, YouTube, Facebook e em seu vlog. As informações são da coluna Na Telinha, de Sandro Nascimento, no UOL.

Essa aposta na rede foi o caminho que o ex-âncora do “Jornal da Globo” encontrou para continuar no comando de uma atração jornalística e não desobedecer uma das cláusulas do acordo que assinou, quando encerrou seu vínculo com a antiga emissora, em dezembro. Conforme apurou a coluna, Waack não pode trabalhar em nenhum canal comercial de TV aberta pelo período de três anos. Porém, essa restrição contratual não existe para outros meios de comunicação, como rádio, TV fechada e internet.

Com isso, SBT, Record TV, Band e RedeTV! podem desistir de ter o ex-global em seu “casting” de jornalistas até 2020, ao menos que assumam pagar uma multa milionária à Globo. Além desta restrição, Waack não pode conceder nenhuma declaração pública com os detalhes do acordo que fez com a Globo e nem criticar sua antiga emissora.

“Qualquer coisa que se refira de onde eu saí precisa do meu advogado por perto. Eu sou obrigado, ao contrário do que gosto de fazer, a ser um pouco mais geral no que vou dizer a vocês por razões legais. Ok? Entenderam?”, respondeu William Waack, ao ser questionado por um jornalista sobre sua demissão durante o 2º Encontro Folha de Jornalismo, realizado pelo jornal Folha de S.Paulo, nesta última semana.

Fonte: Forum