Meio Ambiente é pauta permanente dos bancários

868af0a9-312b-42e0-955d-5a783caef873

A terceira palestra do 2° Ciclo de Debates sobre Meio Ambiente, promovida pelo Sindicato, contou com a presença do professor Lúcio André Fernandes – titular do Departamento de Ciências Sociais e Agrárias da UFPel. O encontro procurou refletir sobre os impactos e as perspectivas da relação estabelecida entre economia e meio ambiente.

De acordo com o membro do Coletivo do Meio Ambiente e diretor do Sindicato, César de Lima de Melo, um dos principais objetivos dessa atividade é trabalhar temas relacionados à questão ambiental em um perspectiva reflexiva , educativa e inclusiva. “A ideia é que possamos nos apropriar de informações que não são debatidas no nosso cotidiano”, afirmou o dirigente sindical.

Segundo o professor Lúcio André, somente no ano de 2016, lançamos, na atmosfera, 53,4 bilhões de toneladas de gases de efeito estufa; o que nos aproxima rapidamente de um aquecimento global considerado perigoso. “Essas emissões aumentaram cerca de 7% em relação à 2010. Isso se deve agora tanto à crescente produção de energia quanto a um regime alimentar perverso, transformado em commodities e baseado em proteínas animais”, explicou.

Na avaliação do palestrante, a esquerda não percebe a gravidade da situação atual e relega a segundo plano a agenda ambiental. “Optamos por um desenvolvimento capitalista, com reprimarisação das economias da América Latina, alto impacto de extrativismo/produção de comodities com relativos ganhos sociais mas grande degradação ambiental”, ressaltou.

Seeb Imprensa Pelotas