Governo mira a aposentadoria do povo

1031052-14072016-img_6574

Depois de destruir os direitos assegurados pela carteira de trabalho, o governo Temer prepara mais um golpe contra o brasileiro. Acabar com a aposentadoria de milhões de trabalhadores. Aprovar a reforma da Previdência é a prioridade do presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia (DEM-RJ), na volta do recesso parlamentar, em 1º de agosto.

Como se trata de uma PEC (Proposta de Emenda Constitucional), precisa de 308 votos no plenário para ser aprovada. Se passar, segue para o Senado. Caso encontre resistência, o governo estuda fatiar o projeto e o que não conseguir aprovar volta à pauta em 2018.

Para isso, conta com o Congresso Nacional que ignora os apelos das ruas para fazer a agenda neoliberal andar rapidamente. As empresas também fazem sua parte e, segundo circula na mídia, prometem apoio bilionário nas eleições do ano que vem para os deputados que votarem a favor.

Diante do cenário difícil, os trabalhadores devem se antecipar e pressionar desde já os parlamentares contra a aprovação da reforma previdenciária. Pela medida, o cidadão só poderá se aposentar com, no mínimo, 65 anos de idade e 25 anos de contribuição.

Bancários atingidos

Dos 504 mil bancários do país, 391 mil serão atingidos com a reforma da Previdência. Os grandes bancos do país pressionam pela aprovação da medida o mais rápido possível, assim como fizeram com a reforma trabalhista.

Em notas ou por meio de declarações dos executivos, Itaú, Bradesco e Santander declaram abertamente que querem a reforma. Muito dinheiro tem por trás da pressão do sistema financeiro, de olho no aumento da contratação de planos de previdência privada.

Fonte: SEEB SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *