Deltacron: Rio Grande do Sul confirma primeiro caso da combinação de variantes

apagao-de-dados-ministerio-da-saude-1080×679

O primeiro caso da combinação entre as variantes Delta e Ômicron do coronavírus, chamada informalmente de Deltacron, foi confirmado pela Secretaria Estadual da Saúde (SES) do Rio Grande do Sul, neste sábado (16). Trata-se de uma mulher de Cruz Alta, no noroeste do RS, que foi infectada ao mesmo tempo pelas duas variantes. Essa infecção simultânea que permite que as variantes interajam durante a replicação, misturando assim o seu material genético e formando novas combinações.

A amostra da paciente foi coletada em 11 de fevereiro e, após a análise no Centro Estadual de Vigilância em Saúde (CEVS) e identificação do caso de recombinação, foi encaminhada para o Laboratório de Vírus Respiratórios e Sarampo da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Lá, foi sequenciada outra vez e apresentou resultado positivo.

Segundo a SES, a investigação epidemiológica e rastreamento de contatos conduzidos pela Vigilância Estadual e Municipal não identificaram histórico de viagem da paciente e nem possíveis contatos dela com outras pessoas. Porém, a diretora do CEVS, Cynthia Molina Bastos, destacou que equipes técnicas intensificaram os trabalhos para avaliar se trata-se de um caso isolado ou se há uma cadeia de transmissão dessa variante na região.

“Seguimos monitorando pois não é possível afirmar se esta combinação é mais transmissível ou os efeitos causados, mas é importante reforçar a importância de hábitos de higienização das mãos e, em caso de sintomas, utilizar máscaras”, disse Cynthia.

Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado

Fonte: Sul 21