Dados dos brasileiros nas mãos dos bancos

Design sem nome (27)

O sistema financeiro segue beneficiado pelo governo Bolsonaro. Depois de liberar R$ 1 trilhão aos bancos, no início da pandemia, o Ministério da Economia vai fornecer os dados biométricos – impressão digital, reconhecimento facial, de íris e de voz – de mais de 118 milhões de brasileiros às organizações.

A violação de dados sigilosos dos clientes sem autorização afronta a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais). Por isso, foi apresentado, na Câmara dos Deputados, o PDL (Projeto de Decreto Legislativo) 12/2022 que “susta a aplicação do Acordo de Cooperação nº 16/2021”. 

É inadmissível que o governo Bolsonaro jogue tão baixo e coloque em risco a segurança dos dados dos cidadãos. A troca de informações entre o setor público e o setor privado é, no mínimo, intrigante em um ano de eleições. Um perigo liberar os dados biométricos sob responsabilidade do TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Fonte: Sindicato dos Bancários da Bahia (SBBA)