“A Prefeita de Pelotas perdeu o controle da Pandemia”, critica Presidenta do Sindicato da Saúde

Design sem nome – 2020-11-26T011240.169

A situação da crise sanitária, em Pelotas, se agrava a cada dia. Somente na tarde de ontem, quarta-feira (25), mais 204 novos casos de Covid-19 foram confirmados no município – o maior número, diário, desde o início da Pandemia. O total de infectados já chega a 8.190, mas ainda estão sendo aguardados os resultados de outros 848 exames, conforme informações repassadas pela Prefeitura.

Falhas decisivas

Em meio à esse cenário caótico, as falhas na gestão da crise tem se mostrado cruciais. Conforme relatou a Presidenta do Sindicato da Saúde, Bianca D’Carla, a falta de profissionais, de equipamentos de proteção adequados e até de leitos de UTI, em Pelotas, é o resultado dos erros cometidos pela Prefeitura.

“Nós temos, hoje, uma Prefeita que não senta para dialogar com as pessoas que representam os trabalhadores da área da saúde e uma secretária que desorganizou a estrutura sanitária do nosso município”, critica Bianca, ao lembrar que muitas pessoas têm reclamado por não estar conseguindo nem mesmo agendar exames, ao ligar para a Vigilância Epidemiológica.

Linha de frente

Os trabalhadores que estão na linha de frente acabam sofrendo as consequências da má gestão da crise sanitária, mas, esse problema se agrava, na medida em que grande parte da população de Pelotas tem sido irresponsável ao cuidar não só de si, mas, também, dos outros. “É preciso que os pelotenses tenham consciência do que está acontecendo. Se a gente tivesse mantido a linha do distanciamento, obedecendo os padrões sanitários pra que o vírus não se disseminasse, nessa proporção de hoje, seria outra realidade, mas, diante do atual quadro, em menos de 10 dias, provavelmente, teremos que fechar tudo”, avalia Bianca.

Para a Presidenta do Sindicato da Saúde, não houve competência do governo municipal em centralizar o atendimento, mesmo recebendo recursos para gerenciar melhor a crise. “A prefeita Paula perdeu o controle da pandemia. Fechou um hospital de campanha, que teve o custo de R$ 411 mil reais, jogando o dinheiro da população fora. Além disso, a secretária de saúde não sabe o que está fazendo, porque, se soubesse, teria testado todos os profissionais da saúde e fechado um convênio com a UFPel, que disponibiliza mais de 200 exames por dia”, ressalta.

Falta de empatia

Ao comentar a situação dramática, vivenciada pelos profissionais da saúde que estão atuando na linha de frente, Bianca criticou a falta de empatia das pessoas que, hoje, frequentam os barzinhos da cidade e vão para a praia do Laranjal, aos domingos, com seus filhos, gerando aglomerações em praças.

“Qualquer trabalhador que venha a se infectar, em Pelotas, terá o direito de parar e se recuperar, mas, nós, profissionais da saúde, vamos infectar a nossa família e morrer trabalhando”, denuncia Bianca, ao relatar o sofrimento desses profissionais que precisam trabalhar de fralda, só podendo trocá-la, a cada 6h, devido ao risco de contágio, enquanto algumas pessoas vão para o centro da cidade passear, muitas vezes sem nem mesmo fazer o uso de máscaras.

Redação e Criação da Imagem: Eduardo Menezes – Seeb Pelotas