Pelotas registra falta de leitos, em UTI COVID, e casos da doença seguem aumentando no Banrisul

Design sem nome – 2020-11-24T100209.063

Nesta última segunda-feira (23), quando Pelotas registrou falta de leitos na UTI COVID, mais um caso da doença foi confirmado no Banrisul. Agora, já são 12 pessoas que testaram positivo, nas agências do banco, no município, desde o primeiro caso confirmado, no início de novembro.

O Sindicato tem se mostrado preocupado com a situação, já que as agências bancárias recebem, diariamente, um grande fluxo de clientes e os trabalhadores dos bancos estão mais suscetíveis à contaminação, por atuarem na linha de frente, prestando atendimento ao público. No Banrisul, esta demanda tem sido ainda mais intensa, devido à realização das provas de vida, do INSS, que tem levado um grande contingente de pessoas, todos os dias, a procurar às agências do banco, na cidade.

Reflexo da má gestão da crise

Para tornar a situação ainda mais dramática, ontem, segunda-feira (23), foi confirmado que não havia mais leitos de UTI COVID, na cidade. O município vive um dos piores momentos da crise sanitária, mas isso não tem se refletido em medidas mais fortes, no combate à disseminação da doença, por parte da Prefeitura. O número de casos tem aumentado, diariamente, após uma série de medidas de flexibilização que foram adotadas pelo Governo Paula (PSDB).

Em junho, Pelotas chegou a ser classificada como “risco baixo” para o contágio da Covid-19, pelo Programa de Distanciamento Controlado do Governo do Estado. O período eleitoral e a abertura do comércio, sobretudo, em datas comerciais, inclusive, durante todo o dia, em feriados, certamente contribuíram para o aumento da disseminação da doença por todo o município.

Hoje, a situação é preocupante não só nos bancos, mas, também, no comércio. Um dos motivos é falta de consciência de grande parte da população pelotense, que não tem respeitado o distanciamento social e, em muitos casos, não faz uso nem mesmo de máscaras, ao transitar pelo Centro da cidade – local de grande aglomeração.

No entanto, aliado à falta de consciência de quem entendeu, nas medidas de flexibilização da Prefeitura, um aceno para diminuir os cuidados pessoais, é possível diagnosticar, principalmente, a má gestão da crise sanitária, em Pelotas, que não se revela apenas pelos números, mas, também, por tomadas de posição equivocada, como no caso, recente, da concentração dos atendimentos no Centro COVID, que não contava com número de profissionais suficientes para atender à demanda, conforme denunciou o Presidente do Conselho Municipal de Saúde, Luiz Guilherme Belletti. (confira o vídeo abaixo)

Atualização da situação em Pelotas

Somente na tarde de ontem, segunda-feira (23), a Secretaria Municipal de Saúde de Pelotas (SMS) registrou mais 100 novos casos da doença. Além disso, também foi confirmado mais um óbito decorrente da contaminação pelo coronavírus. Ao todo, já são 7.821 pessoas contaminadas, em todo o município, e 173 óbitos – os maiores números de toda a Zona Sul.

Redação: Seeb Pelotas

Arte: Seeb Pelotas